domingo, 05 julho 2020 14:31

A importância da Consulta de Saúde do Viajante

Escrito por
Classifique este item
(2 votos)

Incluir a Consulta de Saúde do Viajante deve passar a ser uma rotina tão normal e adequada, como a escolha da roupa conforme o destino ou a escolha da lembrança a trazer no regresso, deve fazer parte da lista de coisas a fazer antes da viagem.

A nossa saúde é um bem precioso, mesmo quando estamos de férias. 

Porque ir a consulta de saúde do viajante?

A avaliação das condições de saúde e doença do viajante antes da viagem são cruciais na consulta do viajante, tendo em especial atenção em grávidas, crianças, idosos, portadores de doenças crónicas ou imunossuprimidos e outras situações mais específicas. Este tipo de consulta deve acompanhar todos os viajantes no pré, durante e pós viagem, todos os momentos são importantes para acompanhar a sua saúde nestes momentos e manter-se alerta para qualquer alteração.

Cada viajante tem uma viagem, uma consulta, uma avaliação, uma prescrição. Cada viajante tem o seu passado de viagens, de vacinação internacional e de alterações de saúde durante e pós a viagem, assim os cuidados indicados, tomas de medicação profilática ou de medicação para levar consigo são individuais, estão relacionadas com o seu perfil de viajante e com o seu estado de saúde atual.

Aconselham as medidas preventivas antes, durante e pós viagem, como a vacinação (do Programa Nacional de Vacinação e Internacional), profilaxia de malária, informação sobre higiene individual, cuidados com a água e os alimentos a ingerir. Partilhar informação sobre a assistência médica e segurança no país de destino, assim como alertar para um possível seguro de viagem com possibilidade de repatriamento, conforme o destino ou patologias prévias a viagem.

No caso de viajar para um país com necessidade de vacinação contra a febre-amarela é lhe entregue o certificado de vacinação internacional.

Quando ir a consulta de saúde do viajante?

A Consulta de Saúde do Viajante deve ser realizada no período pré-viagem, destina-se ao aconselhamento e indicações de saúde em viagem (da pré-viagem até à pós-viagem), devendo ser realizada idealmente, com antecedência de 8 a 4 semanas. Com esta antecedência, dá tempo para fazer tudo: direccionar toda a medicação e vacinação necessária, iniciar a toma de profilaxia de malária (quando é necessário) e ver os efeitos secundários que podem surgir, acautelar toda a medicação de viagem e o material para o estojo de saúde do viajante, que possa ser necessário levar.

Onde está disponível a consulta de saúde do viajante?

Existem a nível nacional no Serviço Nacional Saúde, um elevado número de locais onde as consultas do viajante/centros de vacinação internacional (29 em Portugal continental e 10 nas regiões autónomas da Madeira e Açores), estão em funcionamento num total de 39.

A lista com os contatos e horários fica aqui disponível a nível do SNS https://www.sns.gov.pt/sns-saude-mais/saude-em-viagem/. O valor da consulta no SNS passa pelo pagamento da taxa moderadora, na generalidade 5€, que inclui a consulta do médico idealmente especialista em medicina tropical/infeciologia/medicina interna e um centro de vacinação gratuita para as vacinas cobertas pelo Programa Nacional de Vacinação. Se as vacinas forem extras a este plano, ou seja, vacinas internacionais devem ser pagas e muitas vezes compradas pelos viajantes na farmácia da comunidade e sendo depois administradas nos centros vacinação internacional.

Existe também Consulta do Viajante em Telemedicina feita via internet por videoconferência, por profissionais médicos com formação certificada na área, com um custo de 25€ por consulta individual de forma pré-paga. Não existe observação física ao viajante, as receitas são dispensadas por email e em caso de necessidade de vacinação o viajante terá sempre de se dirigir ao centro internacional de vacinação.

Existe a possibilidade de as consultas poderem ser marcadas de forma urgente para viagens com data de partida inferior a 7 dias, até 72 horas de antecedência face à viagem.

Mais informações no site: https://www.consultadoviajante.com/.Não compare e siga as indicações do seu Médico e Enfermeiro.

A responsabilidade pela saúde no estrangeiro incide sobre uma só pessoa, o viajante, ou seja, em si próprio. 

Este artigo foi elaborado pela Celine Machado que que além de Enfermeira, é também mestre em Saúde Tropical e Especialista em Saúde Comunitária e Saúde Pública.

Blogue: https://travellingnursecm.blogspot.com/?m=1 

Facebook: https://m.facebook.com/saudeemviagem 

Instagram: @saudeemviagem

Ler 617 vezes Modificado em domingo, 05 julho 2020 14:44