terça, 08 janeiro 2019 22:43

'Achatinella apexfulva', uma espécie extinta

Escrito por
Classifique este item
(2 votos)
George, o caracol George, o caracol

Dia 1 de janeiro morreu George, o último caracol da sua espécie.

Cientistas e pesquisadores do Departamento de Terras e Recursos Naturais do Havai despediram-se, através de um post nas redes sociais, do adorado caracol que era o último sobrevivente da espécie Achatinella apexfulva. O seu nome era George.

George morreu no dia de Ano Novo com a idade estimada de 14 anos de acordo com David Sischo, biólogo da vida selvagem para o Programa de Invertebrados do Havai. Dos 10 caracóis levados para um laboratório da Universidade do Havai em 1997, ele foi o único que sobreviveu.

O nome deste caracol foi escolhido em homenagem à conhecida tartaruga Lonesome George, George Solitário, outro último sobrevivente da sua espécie e que se tornou num ícone dos esforços de conservação de espécies em vias de extinção.

Tudo foi feito para encontrar um parceiro para George mas tal nunca aconteceu pois os investigadores não conseguiram localizar mais nenhum caracol da sua espécie.

Em 2016, a New Scientist revelou que o desaparecimento desta espécie devia-se não só às mudanças climáticas, espécies invasoras e perda de habitat mas também devido à procura das suas impressionantes conchas, frequentemente usadas em jóias.

A revista Honolulu Magazine relatou em 2017 que apenas 200 das 750 espécies de carácois terrestres descritas nas ilhas havaianas permanecem e muitas delas estão em perigo imediato de extinção. Sischo disse à revista que "a maioria dos caracóis será extinta em cinco a dez anos".

A morte de George, o caracol solitário, vem reavivar na memória os efeitos a longo prazo das mudanças ambientais e climáticas e do envolvimento do ser humano na biodiversidade e ecossistemas. Apesar de tudo, o Departamento de Terras e Recursos Naturais do Havai diz que ainda há esperança para George e para a sua espécie - uma pequena parte do pé de George foi colocada em 2017 no Frozen Zoo, em San Diego, um gigantesco banco de tecidos para preservação genética.

Ler 281 vezes Modificado em segunda, 14 outubro 2019 14:25
Sara Ribeiro

Redatora Principal

"Tomei o gosto pelas palavras bem cedo.
Encantada por todas as leituras e escritas que passaram e continuam a passar por mim, o meu percurso inevitável em Comunicação guiou-me até aqui.
Continuarei, para sempre, enamorada pelo poder da informação e pela liberdade que ela respira."