domingo, 22 dezembro 2019 12:10

A acelga é o vegetal mais saudável que pode comer

Escrito por
Classifique este item
(2 votos)
A acelga é o vegetal mais saudável que pode comer A acelga é o vegetal mais saudável que pode comer © Tasty Mediterraneo

Vai começar a tê-lo na sua mesa?

Os vegetais de folha verde escura são considerados os melhores vegetais e os mais nutricionalmente ricos.

A acelga não é exceção e, segundo os investigadores, está no topo da lista dos vegetais com melhor conteúdo nutricional.

Encontra na acelga elevadas doses de vitamina K e A, fibra, minerais, como o ferro, magnésio e o potássio, fitonutrientes e antioxidantes, que incluem vitamina C, beta-caroteno e flavonóides.

Devido à sua composição, consumir regularmente acelga pode reduzir o risco de determinadas doenças, incluindo doenças crónicas, uma vez que ajuda a:

  • Manter estáveis os níveis de açúcar no sangue;
  • Regular a pressão arterial e o colesterol;
  • Diminuir a inflamação;
  • Combater os danos dos radicais livres;
  • Fortalecer os ossos;
  • Estimular o sistema imunitário;
  • Prevenir anemia;
  • Melhorar a digestão;
  • Favorecer a saúde cardíaca;
  • Evitar doenças do fígado;
  • Proteger de doenças dos olhos;
  • Reduzir o declínio cognitivo;
  • Promover a perda de peso;
  • Aumentar o desempenho físico.

Para além disso, a acelga também pode melhorar significativamente a saúde da pele devido aos antioxidantes e nutrientes necessários para uma pele saudável: vitamina C, E, A e beta-caroteno.

Ainda, tem uma quantidade considerável de biotina, uma substância ligada à estimulação dos folículos capilares e, no geral, a cabelo saudável.

A acelga é um vegetal versátil que pode ser consumido cru, em saladas, ou em assados, massas, sopas, batidos, entre outros.

Ler 934 vezes Modificado em quarta, 25 março 2020 18:56
Sara Ribeiro

Redatora Principal

"Tomei o gosto pelas palavras bem cedo.
Encantada por todas as leituras e escritas que passaram e continuam a passar por mim, o meu percurso inevitável em Comunicação guiou-me até aqui.
Continuarei, para sempre, enamorada pelo poder da informação e pela liberdade que ela respira."