quarta, 22 maio 2019 10:27

Porto Cartoon dedicado a Bob Dylan

Escrito por
Classifique este item
(1 Vote)
Porto Cartoon dedicado a Bob Dylan © CM Matosinhos

Quantos rostos tem Bob Dylan, músico e poeta? Serão inúmeros, decerto – e cem das possíveis caricaturas da carismática fisionomia de Dylan estão expostas desde sábado, 18 de maio, na mostra que assinalou a pré-abertura da 21ª edição do Porto Cartoon World Festival.

Resultado de uma parceria entre o Museu Nacional da Imprensa e a Câmara Municipal de Matosinhos, a exposição vai estar patente até 9 de junho, dando a conhecer, entre muitos outros, o cartoon do brasileiro Luiz Carlos Fernandes, vencedor do Prémio Especial do Porto Cartoon. Também lá estarão os trabalhos que conquistaram o segundo prémio, ex aequo, produzidos pelo australiano David Rowe e pelo português António Santos (Santiagu). O terceiro premiado foi Omar Figueroa Turcios, de Espanha.

A dimensão do fenómeno global e transgeracional que Bob Dylan, vencedor do Prémio Nobel da Literatura em 2016, continua a ser ficou sobejamente atestada pelo facto de este Prémio Especial, criado em 2013, ter sido o mais concorrido de sempre, a despeito de as anteriores edições terem sido dedicadas a personalidades como Hemingway, Mandela, Chaplin, Picasso, Woody Allen, Amália Rodrigues ou Cristiano Ronaldo.

“Dylan construiu, num certo sentido, a sua própria iconografia, mas também a sua própria caricatura – e talvez este seja o motivo mais óbvio para explicar o enorme sucesso deste Prémio Especial de Caricatura”, considera a presidente da Câmara Municipal de Matosinhos no texto que escreveu para o desdobrável da exposição.

A edição deste ano do festival teve como tema "Línguas e Mundo" e, para além do Prémio Especial de Caricatura a Bob Dylan, a organização incluiu um Prémio Especial centrado na figura de Fernão de Magalhães, evocando os 500 anos de viagem de circum-navegação, cujos vencedores foram: 1º Prémio - Pedro Ribeiro Ferreira (Portugal); 2º Prémio - Reza Ghorbanian (Irão): 3º Prémio, ex-aequo, Aurélio Mesquita e Vitor Neves (Portugal).

Este ano estiveram a concurso cerca de 2700 obras, de mais de 620 artistas, oriundos de 73 países distintos, de todos os continentes.

O júri internacional foi composto por Peter Nieuwendjik (presidente da FECO), Maria Milano (designer italiana), Roberto Merino (encenador), Xaquín Marín (fundador do Museo de Humor de Fene, Espanha), António Ponte (representante da Missão Magalhães/Ministério da Cultura) e Luiz Humberto Marcos (diretor do Museu Nacional da Imprensa).

Georges Wolinski, cartoonista do Charlie Hebdo assassinado em 2015, em Paris, foi durante uma década presidente do Júri do Porto Cartoon World Festival e, como tal, foi distinguido, a título póstumo, com o título de Presidente Honorário.

Este ano, o grande vencedor foi o artista belga Luc Descheemaeker com a obra “Money Language”, que representa Donald Trump, com uma língua de dólares. O segundo lugar foi atribuído a Mojmir Mihatov, da Croácia, e o terceiro a David Vela, de Espanha.

As obras distinguidas pelo júri integrarão uma exposição no Museu Nacional da Imprensa, em junho.

Ler 196 vezes Modificado em segunda, 14 outubro 2019 16:59