segunda, 15 julho 2019 12:33

Reconheça os sintomas de overtraining e saiba como o evitar

Escrito por
Classifique este item
(1 Vote)
Reconheça os sintomas de overtraining e saiba como o evitar Reconheça os sintomas de overtraining e saiba como o evitar

Exercício físico, em quantidade adequada, traz diversos benefícios físicos e psicológicos que contribuem para um estilo de vida saudável e melhoram a qualidade de vida de quem o pratica.

Mas, por outro lado, e como tudo o que é demais é exagero, o excesso da prática de exercício físico pode levar a um outro extremo que provoca resultados bem diferentes como cansaço e fadiga, tornando a pessoa mais suscetível a lesões e a desistir mais facilmente da prática de exercício físico.

Este síndrome chama-se overtraining.

Overtraining significa uma sobrecarga de estimulação que pode ser causado por um aumento rápido do número ou intensidade das sessões de treino, execucação de movimentos dificeis, programas de treino muito intensos, pausas de descanso e recuperação insuficientes e alimentação desequilibrada. Por outras palavras, overtraining acontece quando o esforço feito supera a capacidade de resposta do organismo e conduz a uma situação de stress.

Com o culto do corpo que atualmente existe, o overtraining, antes associado apenas a atletas, está a desenvolver-se a passos largos nos frequentadores de ginásio, nomeadamente no verão, altura em que muitas pessoas fazem dietas hipocalóricas e ficam horas no ginásio, assumindo que irão atingir a forma desejada rapidamente.

Isto perfaz um excesso de treino que provoca, por sua vez, um mal-estar geral que leva a pessoa a desistir da prática de exercício físico e, portanto, os objetivos iniciais nunca serão cumpridos.

Pode-se dizer que as principais causas do overtraining são a falta de acompanhamento especializado e desconsideração pelos sinais que o corpo transmite.

Abrange uma série de sintomas como:

  • Cansaço, fadiga, exaustão e falta de energia;
  • Queda no desempenho e rendimento – diminuição da capacidade e intensidade do treino e os resultados negativos;
  • Dores musculares e articulares, manifestadas principalmente em repouso;
  • Diminuição da imunidade – maior suscetibilidade a constipações e dores de garganta, por exemplo
  • Insónia, dores de cabeça e tonturas, irritabilidade;
  • Perda de entusiasmo pelo exercício físico ou desporto;
  • Alterações de apetite e de humor;
  • Oscilações do ritmo cardíaco e dificuldade de concentração;
  • Maior incidência de lesões;
  • Ansiedade e depressão em casos extremos.

Como evitar o overtraining

Lembre-se que um bom treino tem três pilares fundamentais: treino, descanso e alimentação. Portanto, é essencial que deixe o seu corpo descansar e recuperar entre sessões de treino.

  • Planeie o seu descanso, tendo em conta a sua rotina diária;
  • Faça por ter boas noites de sono;
  • Alimente-se bem, de maneira saudável e equilibrada;
  • Não ignore o aquecimento e arrefecimento do pré e pós-treino;
  • Ouça o seu corpo, interprete os sinais que ele lhe transmite.

Uma das maneiras de saber se sofre de overtraining é monitorizar o seu ritmo cardíaco ao longo do tempo em intensidades de exercício físico específicas.

Caso pense que sofre de overtraining comece por descansar e recuperar durante uns dias, reduzindo ou parando de todo de exercitar. Hidrate-se e faça uma alimentação saudável e equilibrada. Mas, o mais importante, procure um profissional de saúde.

Ler 72 vezes Modificado em segunda, 15 julho 2019 15:20
Sara Ribeiro

Redatora Principal

"Tomei o gosto pelas palavras bem cedo.
Encantada por todas as leituras e escritas que passaram e continuam a passar por mim, o meu percurso inevitável em Comunicação guiou-me até aqui.
Continuarei, para sempre, enamorada pelo poder da informação e pela liberdade que ela respira."