domingo, 30 outubro 2022 22:18

Os 6 cemitérios mais bonitos e espetaculares da Europa que valem a pena visitar uma vez nesta vida (ou na próxima)

Escrito por
Classifique este item
(1 Vote)

O turismo de cemitérios, também conhecido como Necroturismo, ou turismo de cinzas, é uma das formas de viajar que tem conquistado mais seguidores.

Embora no início possa parecer um costume um pouco sombrio, a verdade é que os cemitérios são, em muitas ocasiões, lugares bonitos onde não só grandes figuras ilustres da história descansam, mas também locais que possuem obras e mausoléus que são verdadeiras peças de arte que merecem ser visitadas.

Se este ano pretende fugir da atividade típica de Halloween "doçura ou travessura" e optar por planear uma escapadela para celebrar esta data, a Yescapa, plataforma intermediária no aluguer de autocaravanas e campervans na Europa, propõe um roteiro por alguns dos cemitérios mais bonitos e valiosos da Europa, pelo seu valor artístico, design ou história, que valem a pena visitar pelo menos uma vez na vida (ou noutra).

Cemitério Grange (Edimburgo)

No bairro de Grange, a sul da capital da Escócia, encontramos este cemitério victoriano projetado em 1847 pelo arquiteto David Bryce.

Entre as inúmeras curiosidades do local destacam-se uma lápide de inspiração egípcia, que inclui palmeiras, concebida pelo escultor Robert Thompson, que a desenhou como um "portal egípcio" para o mundo dos mortos, para a esposa de William Stuart, que morreu em 1868.

Catacumbas, cruzes celtas e monumentos para personalidades da época, como o pioneiro da fotografia Robert Henry Bow, Jessie Gellatly – uma das primeiras mulheres médicas no Reino Unido – ou o artista Robert Herdman, fazem deste cemitério um local a visitar.

Cemitério Père Lachaise (Paris)

O maior cemitério intramural de Paris, e um dos mais famosos do mundo, possui 44 hectares onde estão sepultadas pessoas famosas como o escritor Oscar Wilde, cuja lápide está repleta de beijos, o compositor Frederic Chopin, ou o pintor Modigliani.

Para além dos seus ilustres habitantes, visitar este cemitério, que abriu portas em 1804, permite admirar uma grande variedade de estilos arquitetónicos nos monumentos funerários que o compõem: túmulo gótico, panteão de Haussmann, etc. A beleza de alguns dos seus túmulos, com as suas obras escultóricas, lápides e túmulos é tal que muitos deles deviam ser expostos em museus. Se somarmos a tranquilidade e os espaços verdes, o Père Lachaise torna-se um local que não deve faltar num roteiro destinado aos fãs do Necroturismo.

Cemitério Monumental de Staglieno (Génova)

Considerado por muitos o cemitério mais bonito do mundo, pelas suas esculturas e obras artísticas, o cemitério de Staglieno em Génova, é também um dos maiores da Europa. Inaugurado em 1851, este cemitério italiano localizado numa colina, é um verdadeiro museu ao ar livre, que também atrai a atenção dos visitantes pelos seus jardins, nos quais existe uma cópia do Panteão de Agripa.

Desde a sua criação, tem sido visitado por pessoas famosas de todo o mundo, incluindo o filósofo Friedrich Nietzsche ou o escritor Ernest Hemingway, que afirmou que o local é "uma das maravilhas do mundo".

Cemitério de São Pedro (Salzburgo)

No coração da cidade austríaca, encontramos este cemitério onde foram gravadas algumas das cenas do famoso filme Música no Coração. O Cemitério de São Pedro data a época dos romanos, mais especificamente a partir do ano 480, e a sua parte mais antiga corresponde às catacumbas, túmulos escavados na rocha, sendo mais tarde um local de recordação para os monges da Abadia de São Pedro.

A Cripta Comum foi construída em 1659 e é um lugar que se destinava aos corpos que não podiam ser colocados noutros locais, ou a capela Gertraude, são alguns dos locais que podem ser visitados neste famoso cemitério.

Este cemitério também tem personalidades importantes que lá descansam: Haydn, alguns parentes de Mozart, ou o famoso arquiteto Solari. Seja pelas suas obras arquitetónicas, pelos mausoléus familiares com muitas décadas de história ou pelos túmulos dos monges, que foram os primeiros a ser sepultados neste cemitério, vale a pena visitar este lugar.

Cemitério de Ohlsdorf (Hamburgo)

Lar de todas as religiões, Ohlsdorf é o maior cemitério rural do mundo. Inaugurado em 1877, é também o maior espaço verde da cidade alemã de Hamburgo e graças às suas mais de 450 espécies de plantas, tem um enorme valor botânico. A estes atributos, soma-se também um lago com cisnes e múltiplas esculturas e obras de arte.

12 capelas e uma rede de ruas internas que percorrem cerca de 17 quilómetros fazem parte deste cemitério, que tem seis memoriais em memória das vítimas do Holocausto. Entre os mais importantes estão o Memorial das Vítimas da Perseguição Nazi, datado a 1949, que contém os nomes gravados dos 25 campos de concentração, o Memorial das Vítimas do Incêndio de Hamburgo, cujos restos mortais repousam numa vala comum, e o memorial em homenagem aos Combatentes da Resistência de Hamburgo, entre 1933 e 1945.

Cemitério de Santa Mariña de Dozo (Cambados)

Considerado por Álvaro Cunqueiro como "o cemitério mais melancólico do mundo", o Cemitério de Santa Mariña de Dozo situa-se junto às ruínas da antiga igreja paroquial de Santa Mariña, padroeira de Cambados, na província de Pontevedra. Devido aos espetaculares arcos nus que suportavam a igreja, que sobressaem em forma de moldura, é um dos lugares mais bonitos para visitar e tirar fotografias.

Devido ao seu valor artístico e histórico, foi declarado “Um Ativo de Interesse Cultural” e foi nomeado o terceiro monumento funerário mais importante de Espanha, fazendo parte da Associação dos Cemitérios Singulares da Europa há quase dez anos.

Ler 81 vezes Modificado em domingo, 30 outubro 2022 22:27