quinta, 22 novembro 2018 23:55

"Photo Ark" chega a Lisboa

Escrito por
Classifique este item
(1 Vote)
Photo Ark © Joel Sartore Photo Ark © Joel Sartore

"Photo Ark", a exposição mais visitada em todo o mundo da National Geographic chega dia 28 de novembro à Cordoaria Nacional.

Foi há 13 anos que o fotógrafo Joel Sartore se propôs a fotografar as 12.000 espécies animais que vivem em jardins zoológicos e reservas do mundo. Um projeto inovador que pretende criar um arquivo de biodiversidade e, ao mesmo tempo, alertar o público a dedicar-se à preservação das espécies mais vulneráveis e evitar a extinção de muitos destes animais ameaçados.

Depois de ter estado no Porto, o projeto do fotógrafo Joel Sartore chega a Lisboa e traz mais de 100 de fotografias de animais em cativeiro, muitos ameaçados ou quase extintos. Se nada mudar, até 2100 metade das espécies animais poderão ficar extintas. O objetivo passa por fazer as pessoas olharem os animais nos olhos e inspirá-las a importar-se, enquanto há tempo.

O projeto conta atualmente com mais de 8400 fotografias, 12 delas tiradas em Portugal. É o caso da 8000ª fotografia que retrata a toupeira-de-água, espécie considerada vulnerável - estima-se que existam apenas 10.000 exemplares no país.

Também em Portugal, Sartore fotografou o lobo ibérico, a serpente-rei-oriental, o leopardo-da-pérsia, o leão-africano, entre outros. Estas fotografias vão estar numa zona da exposição dedicada a Portugal.

A exposição "Photo Ark" estará aberta ao público de 29 de novembro a 5 de maio de 2019.

Photo Ark © Joel Sartore
Photo Ark © Joel Sartore
Photo Ark © Joel Sartore
Photo Ark © Joel Sartore
Photo Ark © Joel Sartore
Photo Ark © Joel Sartore
Photo Ark © Joel Sartore
Photo Ark © Joel Sartore
Photo Ark © Joel Sartore
Ler 1085 vezes Modificado em segunda, 14 outubro 2019 13:55
Sara Ribeiro

Redatora Principal

"Tomei o gosto pelas palavras bem cedo.
Encantada por todas as leituras e escritas que passaram e continuam a passar por mim, o meu percurso inevitável em Comunicação guiou-me até aqui.
Continuarei, para sempre, enamorada pelo poder da informação e pela liberdade que ela respira."