quarta, 20 fevereiro 2019 10:49

Tem o vício de roer as unhas? Então sofre de Onicofagia

Escrito por
Classifique este item
(4 votos)
Tem o vício de roer as unhas? Então sofre de Onicofagia Tem o vício de roer as unhas? Então sofre de Onicofagia Foto de Ken Kaminesky/Getty Images

A Onicofagia é o hábito de roer as unhas. É um problema muito comum que abrange praticamente todas as faixas etárias da população e pode acarretar consequências negativas para a saúde.

É habitual associar este hábito a um estado de stress e ansiedade, contudo, já se provou que as pessoas também o fazem quando se sentem entediadas, com fome ou a tentar executar uma tarefa difícil e, em alguns casos, esse hábito pode surgir caso haja familiares com o mesmo hábito.

Há quem defenda que as pessoas que roem as unhas têm um sistema imunológico mais forte pois introduzem, pouco a pouco, agentes estranhos no organismo. Mas não tem sido tarefa fácil encontrar provas que sustentem essa teoria.

Este é um hábito que pode provocar sérios problemas não só estéticos como a nível de saúde já que roer as unhas provoca ferimentos que facilitam a entrada de vírus como o papiloma vírus humano, causador de verrugas na pele que se podem estender pela boca e lábios. Além disso, debaixo das unhas encontram-se bactérias como a E. coli e a salmonela.

As pessoas que mantêm esse hábito por muito tempo têm tendência a sofrer de uma infecção na pele que rodeia a unha. É o chamado panarício, caracterizado pela dor, vermelhidão, calor e inchaço da pele ao redor da unha. Em casos extremos pode levar ao aparecimento de pus debaixo da pele, o qual tem de ser drenado cirurgicamente ou tratado com antibióticos e antifúngicos.

Outro problema bastante frequente para quem tem este hábito é a deformação e desgaste prematuros dos dentes.

Há quem chegue a engolir pedaços de unha o que pode provocar pequenas lesões a nível do estômago ou intestino.

Para controlar a onicofagia:

  • Manter as unhas cortadas;
  • Usar mordedores de borracha;
  • Aplicar produtos próprios para as unhas específicos para o efeito;
  • Ocupar as mãos com trabalhos manuais;
  • Reduzir o consumo de estimulantes como café ou outras bebidas que alterem o sistema nervoso;

No entanto, o melhor é procurar aconselhamento médico pois existem medicamentos e terapias que ajudam a controlar este hábito.

Ler 3185 vezes Modificado em quinta, 27 fevereiro 2020 13:12
Andreia Almendra

Editora Executiva