quarta, 29 dezembro 2021 16:03

Ter o relógio biológico trocado pode provocar doenças

Escrito por
Classifique este item
(0 votos)

Os seres humanos têm os seus mecanismos biológicos sincronizados com os ritmos da natureza.

A cada 24 horas o corpo vivencia aquilo a que chamamos de ciclo circadiano, que vem do latim "circa" que significa cerca e "diem" que significa dia.

O ciclo circadiano refere-se a uma série de mudanças hormonais, fisiológicas, mentais e comportamentais, que são influenciadas pelo nascer e pôr do sol.

Compreender como o organismo funciona em determinados horários, ajuda-nos a organizar a vida de uma forma mais produtiva.

Em 2017 três cientistas, Jeffrey C. Hall, Michael Rosbash e Michael W. Young ganharam o prémio nóbel de medicina, com a descoberta dos mecanismos moleculares que controlam o ritmo circadiano a nível genético.

As suas descobertas explicam como animais, plantas e seres humanos cordenam os seus ritmos biológicos de forma a estarem sincronizados com o movimento de rotação do planeta.

O nosso bem-estar é prejudicado quando existe uma incompatibilidade entre o ambiente externo e o nosso relógio interno, por exemplo, quando alteramos os nossos horários ditos normais, quando viajamos para um país com um fuso horário completamente diferente daquele em que nos encontramos, quando trabalhamos por turnos ou quando fazemos uma direta, sentimos alterações a nível físico e mental. Quando essas mudanças são constantes, tem implicações no funcionamento do organismo, podendo levar ao aparecimento de doenças.

Mas afinal qual o melhor horário para cada atividade?


6h-9h

O início do dia é entre as 6 e as 9 horas.

A melhor hora para despertar será próxima do nascer do sol, um pouco antes ou depois, dependendo da estação do ano.

9h-12h

Este é o horário em que estamos no pico do foco da atividade mental.

É o melhor horário para produzir e focar no trabalho, aproveitando para realizar as prioridades do dia.

12h-14h

É o meio do dia e é o horário do pico metabólico digestivo, ideal para uma refeição farta e equilibrada.

13h-15h

É o melhor horário para se dedicar a atividades que não necessitam de tanto foco, por exemplo responder e-mails, fazer pesquisas.

15h-18h

É o melhor momento para atividades que exigem coordenação motora e força muscular. É o horário perfeito para a atividade física intensa, como corrida ou musculação.

18h-21h

Este período é bom para estudar, ler, relaxar, conviver, meditar e dar asas à criatividade para criar arte. Como a mente está cansada da objetividade do dia, os acessos ao estado criativo do cérebro ficam mais fáceis de aceder no final do dia.

Altura para começar a reduzir as luzes artificiais, reduzir o contacto com os telemóveis, computadores, tablets.

21h-22h

A forma como escolhemos viver o dia influencia o nosso sono.

Neste horário é para nos prepararmos para dormir e para ajudar deve-se tomar um banho de água morna.

22h

É hora de dormir.

Uma boa noite de sono implica um dia seguinte muito mais produtivo e com menos stress.

É importante ter em atenção, que o relógio biológico é diferente de pessoa para pessoa, e vai mudando ao longo da vida, por exemplo os bebés não produzem melatonina até aos 3 meses, por isso têm um sono irregular, a partir dos 3 meses vão produzindo, atingindo o seu auge na adolescência.

Cada um de nós deveria "ouvir" o próprio relógio biológico e adaptar as atividades ao longo do dia, por forma a vivermos de uma forma mais plena e produtiva.

De acordo com alguns estudos científicos, entre 60 a 70% da população adapta-se perfeitamente a este ritmo biológico.

Viver fora dos ritmos da natureza cria uma dificuldade para a saúde física e mental.

 

Ler 487 vezes Modificado em quarta, 29 dezembro 2021 16:15